Home » Arquitetura, CAU/BR, Entidades, Notícias, Sustentabilidade, Urbanismo » RIBA declara estado de emergência ambiental e climática e propõe Plano de Ação

RIBA declara estado de emergência ambiental e climática e propõe Plano de Ação

Dentre as medidas adotadas pela organização para reduzir a emissão de gases contribuintes ao efeito estufa está a parceria com governos nacionais e locais.

 

O Royal Institute of British Architects (RIBA), organização profissional de arquitetos do Reino Unido, declarou estado de emergência ambiental e climática. A afirmação ocorreu durante reunião do Conselho da organização. Além da declaração, a organização anunciou que vai adotar um plano de ação de cinco anos para construir um ambiente sem emissão de gases que contribuam para o efeito estufa.

Segundo o ex-presidente do RIBA Ben Derbyshire, que presidia sua última reunião do Conselho antes de entregar as rédeas a Alan Jones, a declaração de emergência e o Plano de Ação são essenciais à sociedade, pois o “conjunto de habilidades” dos arquitetos pode ajudar a salvar a humanidade. “Se nós [arquitetos] não enfrentarmos este desafio, não merecemos existir”, disse ele.

Dentre as medidas do plano de ação sustentável, está o apoio ao governo do Reino Unido no compromisso de colocar em prática a recomendação da conferência de tecnologia UK Credit & Collections Conference (UKCCC), para acabar com a emissão de gases do efeito estufa no Reino Unido até 2050.

O ex-presidente Derbyshire acrescentou: “A emergência climática é o maior desafio que o nosso planeta e a nossa profissão enfrentam. Mas para ter um impacto significativo, precisamos fazer mais do que declarações simbólicas – precisamos transformar palavras calorosas em ações impactantes”.

A organização se propôs a criar um Plano de Ação de Desenvolvimento Ético e Sustentável para incluir ações mensuráveis em apoio a um ambiente de zero carbono, o que levará a mudança, no nível nacional e internacional, nos padrões e práticas da indústria; no governo, na política e na regulação intergovernamental; e na pegada de carbono do RIBA, ou seja, a medida total das emissões de gases do efeito estufa da organização.

O RIBA deve ainda trabalhar para apoiar as práticas das organizações governamentais (no Reino Unido e internacionalmente), para que eles se comprometam com a divulgação voluntária das métricas de desempenho ambiental e trabalhem em direção à medida de carbono zero.

“Nós, arquitetos, precisamos transformar a maneira como praticamos e, juntamente com nossos colegas profissionais em todo o mundo, fazer mudanças que terão impacto em nível global”, completou o presidente da reunião.

 

Com informações do Architects’ Journal

 

VIA CAU/BR

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *