Home » Arquitetura, Entidades, Notícias, Notícias Recentes, UIA » Dia Mundial da Arquitetura: Rumo a um futuro melhor para as cidades

Dia Mundial da Arquitetura: Rumo a um futuro melhor para as cidades

Segundo o presidente da UIA, o planejamento urbano, o projeto e a arquitetura são essenciais para um futuro urbano melhor para todos

futuro melhor

Neste dia 05 de outubro é comemorado o Dia Mundial da Arquitetura. Para 2020, o tema escolhido pela União Internacional de Arquitetos (UIA) é “Rumo a um futuro urbano melhor”. Segundo o presidente da UIA, Thomas Vonier, “o planejamento urbano, o projeto e a arquitetura são essenciais para um futuro urbano melhor para todos”. No Dia Mundial da Arquitetura, as associações que representam 3,2 milhões de arquitetos em todo o mundo vão mostrar como o planejamento urbano e a arquitetura podem tornar nossas comunidades fortes, seguras, equitativas e acessíveis.

Criado pela União Internacional de Arquitetos em 1985, o Dia Mundial da Arquitetura é comemorado em paralelo ao Dia Mundial do Habitat da ONU, cujo tema este ano é Moradia para Todos: Um Futuro Urbano Melhor. A ONU promoverá eventos, debates e comemorações sobre o tema até 31 de outubro, quando será celebrado o Dia Mundial das Cidades, de acordo com a Agenda das Nações Unidas para o Desenvolvimento Sustentável, especialmente o Objetivo 11, de “tornar as cidades inclusivas, seguras, resilientes e sustentáveis”.

Thomas Vonier – Presidente da UIA

O presidente da UIA destaca que a pandemia está remodelando os costumes e espaços sociais em todo o mundo, e afetando as populações mais pobres e vulneráveis ​​de maneira desproporcional. “Em muitas das cidades do mundo, as pessoas não podem seguir práticas seguras, simplesmente porque não têm água e ar limpos, e até mesmo o próprio espaço. As políticas urbanas devem garantir serviços adequados, abrigo e espaços recreativos para todos os cidadãos”, afirma Thomas Vonier.

No dia 05, a UIA celebrará o Dia Mundial da Arquitetura com um webinar ao vivo sobre o tema “Rumo a um Futuro Urbano Melhor”, a partir das 9h (horário de Brasília). Moderado pelo presidente da UIA, Thomas Vonier e pelo secretário-geral da UIA, Serban Tiganas, o webinar começará com uma mesa redonda virtual e terá seis painéis de especialistas globais que irão discutir como arquitetos e profissionais em áreas relacionadas podem enfrentar os desafios que enfrentam as cidades de hoje. Os temas igualmente serão discutidos no 27 Congresso Mundial de Arquitetos que a UIA promoverá em julho de 2021, no Rio de Janeiro, em parceria com o IAB.

 

Clique aqui e inscreva-se aqui para o webinar da UIA

 

NOVAS CIDADES EM 2021

No Brasil, as comemorações do Dia Mundial da Arquitetura e do Outubro Urbano seguirão os debates propostos pela “Carta-Aberta à Sociedade e aos (às) Candidatos (as) nas Eleições Municipais de 2020 – Um projeto de cidades pós-pandemia”, lançada pelo Colegiado de Entidades Nacionais de Arquitetos e Urbanistas do CAU/BR (CEAU-CAU/BR). “É preciso que a gente mude a cultura da gestão das cidades brasileiras”, afirma o presidente do CAU/BR, Luciano Guimarães.

 

Carta-Aberta à Sociedade e aos (às) Candidatos (as) nas Eleições Municipais de 2020

 

Documento é assinado pelo CAU/BR junto com o Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB), a Federação Nacional dos Arquitetos e Urbanistas (FNA), a Associação Brasileira dos Escritórios de Arquitetura (AsBEA), a Associação Brasileira de Ensino de Arquitetura (ABEA), a Associação Brasileira de Arquitetos Paisagistas (ABAP) e a Federação Nacional de Estudantes de Arquitetura e Urbanismo do Brasil (FeNEA).

Com o objetivo de contribuir para transformar nossas cidades em territórios mais saudáveis, inclusivos, seguros e resilientes, a Carta aponta cinco pontos fundamentais que devem ser focados pelos futuros (as) prefeitos (as) e vereadores (as) com diálogo e vontade política:

 

[1] Colocar as pessoas no centro das políticas, programas e projetos urbanos de curto, médio e longo prazos, priorizando o bem estar social, em busca ao pleno atendimento ao saneamento ambiental, moradia digna e educação cidadã para todos(as).

 [2] Planejar as políticas urbanas de forma transversal, inclusiva e integrada, mediante programas de Estado que sejam independentes de interesses eleitoreiros e momentâneos e que possam ser implementados por estruturas de gestão com continuidade temporal. Tais políticas devem ser sustentadas por um sistema de informação transparente, baseado em cadastros integrados, georreferenciados e com dados de diversas naturezas;

 [3] Viabilizar o financiamento contínuo das políticas urbanas, com recursos de diversas fontes, incluindo-as como prioridade nos planos anuais e plurianuais;

 [4] Buscar a articulação territorial sempre que o orçamento e o alcance municipal não forem auto suficientes. Os consórcios intermunicipais devem ser considerados como uma alternativa para viabilizar o acesso a fundos públicos e otimizar recursos financeiros e humanos. Pode-se aqui fazer um paralelo e aprender com a resistência, governança e a mobilização das comunidades e territórios vulneráveis durante a pandemia; e

 [5] Garantir a participação popular nos processos decisórios por meio do fortalecimento dos Conselhos Municipais e da representatividade e equidade de seus membros, refletindo a maioria feminina nas lideranças comunitárias. Um plano de gestão eficiente deve contemplar forças de Estado, da iniciativa privada, das organizações sociais e da sociedade em geral.

 

REPERCUSSÃO NA SOCIEDADE
A “Carta-Aberta à Sociedade e aos (às) Candidatos (as) nas Eleições Municipais de 2020 – Um projeto de cidades pós-pandemia” lista 51 ações nas áreas de Arquitetura e Saúde, Cidades Sustentáveis, Governança e Financiamento, Paisagem e Patrimônio e Mobilidade e Inclusão. “Grandes avanços podem ser alcançados por meio dos instrumentos previstos em nosso marco regulatório urbano, como a própria Constituição Federal, o Estatuto da Cidade e o Estatuto da Metrópole para diminuir as distâncias entre a cidade real e a cidade ideal”, diz o texto.

Iniciativa do CEAU-CAU/BR já vem despertando interesse crescente da mídia nacional. Seu conteúdo foi objeto de elogios no editorial “A revitalização da Agenda Urbana” do jornal O Estado de S.Paulo (edição de 08/09/20). O telejornal “Jornal da Tarde” da TV Cultura (SP) apresentou uma longa matéria a respeito da Carta-Aberta em sua edição de 15/09/20.

O canal ECOA, do portal UOL; o Jornal Opção, de Goiânia; a CBN de Belo Horizonte; a Casa Vogue online; e os portais segmentados Projeto e Vitruvius são alguns dos outros veículos que repercutiram o documento. Saiba mais aqui.

Fonte: CAU/BR

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro × quatro =