Home » Arquitetura, Destaques, Entidades, Notícias, UIA » Dia da Arquitetura 2021: ação urbana para um mundo sustentável – Archdaily

Dia da Arquitetura 2021: ação urbana para um mundo sustentável – Archdaily

Artigo de Nicolás Valencia, para o portal Archdaily

Comemorado na primeira segunda-feira de outubro, o Dia Mundial da Arquitetura foi criado pela Union Internationale des Architectes (UIA) em 2005 para “lembrar ao mundo de sua responsabilidade coletiva pelo futuro do habitat humano”, e coincide com a data em que é celebrado o Dia Mundial do Habitat, promovido pela UN-Habitat.

Neste ano, as duas organizações definiram temas relacionados à melhoria da qualidade de vida e redução dos efeitos da crise climática por meio de ações no ambiente construído. Enquanto o tema do Dia Mundial da Arquitetura 2021 da União Internacional de Arquitetos é “Meio ambiente limpo para um mundo saudável”, o Dia Mundial do Habitat da UN-Habitat anunciou “Acelerando a ação urbana para um mundo livre de carbono” como tema.

Para marcar esta ocasião, a equipe de conteúdo do ArchDaily escolheu uma série de artigos que abrangem os principais debates, desafios e tendências que estão definindo o ambiente construído ao redor do mundo em 2021.

A pandemia de Covid-19 está longe de terminar. Sim, as coisas estão finalmente melhorando, mas as mudanças imediatas prometidas como consequência da pandemia ainda não chegaram – independentemente de quão atraente seja dizer que tudo vai mudar. No entanto, continuamos mirando o futuro e antevendo possíveis mudanças que a pandemia pode impulsionar. Segundo Andreea Cutieru, editora do ArchDaily, “esses artigos refletem uma recente mudança de perspectiva que foi desencadeada no ano da pandemia, seja sobre como trabalhamos, onde escolhemos viver, como pensamos o turismo ou o ritmo que caminha a automação.”

 

Acelerando a ação urbana para um mundo livre de carbono

O Dia Mundial do Habitat 2021 reconhece que “as cidades são responsáveis por cerca de 70% das emissões globais de dióxido de carbono, com transporte, edifícios, energia e gestão de resíduos sendo responsáveis pela maior parte das emissões urbanas de gases de efeito estufa.” Embora a maioria dos governos, organizações e comunidades concordem que ações ambiciosas, globais e colaborativas devam ser desenvolvidas para diminuir a crise climática, o conteúdo dessas ações – e quem deve agir – não é tão claro. Arquitetos e designers abraçaram este desafio, ponderando seus papéis e explorando suas próprias abordagens práticas.

 

Novas linguagens e tecnologias da arquitetura

Metaverso, cyberpunk e solarpunk são alguns dos novos conceitos que mapeamos este ano, alimentando novas linguagens da arquitetura para um mundo onde a pandemia normalizou o trabalho remoto e os encontros virtuais. Esses conceitos, juntamente com a consolidação da automação, domótica, buildtech e impressão 3D, estão expandindo o debate sobre como o mundo digital pode evoluir. Estarão os arquitetos envolvidos na construção do metaverso?

 

Materiais locais

Segundo Diego Hernández, diretor criativo do ArchDaily, “como podemos ajudar a reduzir as emissões de nosso campo por meio da prática projetual? A história nos mostra que existem muitas técnicas construtivas e que o uso de materiais locais tem se mostrado sustentável ao longo do tempo. Nesse sentido, a tecnologia e o conhecimento podem nos ajudar a aprimorar esses tipos de técnicas para que sejam duráveis e economicamente viáveis no mundo de hoje. Quanto podemos aprender com a arquitetura vernacular? A partir de uma perspectiva crítica, devemos discutir quais são as melhores opções e em quais casos a arquitetura deve ser mais local do que global”.

 

Equidade e migração

A pandemia sem dúvida exacerbou a desigualdade social, racial e econômica do mundo. Um exemplo claro aparece imediatamente ao comparar quais países já alcançaram a imunidade e quais não. Ao passo que a hashtag #StayAtHome virou mantra no ano passado, visando evitar a propagação do vírus, ela também revelou um privilégio: quem pode ficar em casa se não tiver abrigo? Quem pode ficar em casa se foi rejeitado por sua orientação sexual? Quem pode ficar em casa se milhares de mulheres correm o risco de sofrer violência doméstica? Quem pode ficar em casa se depende do comércio informal ou se é entregador de aplicativos? Melhorar a equidade de nossas cidades tornou-se um tópico urgente em nossa disciplina.

 

Mensagens das Bienais

Alguns dos eventos arquitetônicos mais importantes planejados para 2020 foram adiados devido à pandemia, mas a ideia de transformar bienais e trienais em eventos digitais ou híbridos ainda não se concretizou. Depois que a situação melhorou em alguns países, a Bienal de Veneza 2021, com curadoria de Hashim Sarkis, finalmente abriu suas portas ao público, assim como a Bienal de Chicago 2021, o Salone del Mobile em Milão e a Expo 2020 Dubai. Veremos o que acontece com eventos do sul global no próximo ano.

Confira a matéria completa no portal Archdaily aqui.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *