Home » Acessibilidade, Notícias » Conheça o Projeto Rede Acessível, vencedor do I Prêmio de Acessibilidade

Conheça o Projeto Rede Acessível, vencedor do I Prêmio de Acessibilidade

Iniciativa da arquiteta e urbanista mineira Mônica Flores, que promove a arquitetura inclusiva, venceu premiação nacional

Arq. Urb. Mônica Flores

A arquiteta e urbanista mineira Mônica Flores recebeu o I Prêmio de Acessibilidade, no eixo de Acessibilidade Arquitetônica, pelo seu projeto Rede Acessível. O prêmio foi promovido pelo Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, pela Casa Civil da Presidência da República e coordenado pelo Projeto Pátria Voluntária. O objetivo do prêmio é reconhecer o trabalho de entidades públicas, privadas e indivíduos com notória atuação na promoção da acessibilidade para pessoas com deficiência. A cerimônia aconteceu no dia 03 de dezembro de 2021 no Palácio do Planalto (DF).

O Rede Acessível tem o objetivo de integrar pessoas engajadas na promoção da acessibilidade mostrando a importância da arquitetura e urbanismo para a formação de uma cidade mais inclusiva. Segundo a reportagem do Jornal Voz Ativa, sobre a arquiteta e o seu projeto, “o conceito da rede é o próprio princípio da criação de uma rede, onde os fios são entrelaçados através de nós e que juntos formam um elemento firme, capaz de suportar grandes cargas”. O movimento tem como frase de impacto “A REDE somos todos nós”.

Foi a partir da iniciativa de Mônica Flores que muitas pessoas com deficiência e com mobilidade reduzida passaram a se informar por meio da rede Whatsapp, compartilhando informações acerca da acessibilidade e interagindo entre si. O movimento Rede Acessível também foi o primeiro crowdfunding inclusivo das cidades históricas mineiras. A arrecadação coletiva tem o objetivo de implementar projetos e soluções arquitetônicas factíveis, compatíveis e em consonância com as cidades históricas.

A arquiteta Mônica Flores é natural de Ouro Preto, formada em Edificações pelo Instituto Federal Minas Gerais em 2010 e formada em Arquitetura e Urbanismo no Centro Universitário Anhanguera de Niterói em 2018. Atualmente trabalha no Studi○ MF Arquitetura e se dedica ao Rede Acessível.

 

O projeto que visa a promoção da acessibilidade atrelada à arquitetura e urbanismo recebeu reconhecimento nacional. (Foto: Divulgação)

 

Notícias relacionadas

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *