Home » Arquitetura, Entrevistas, Notícias, Urbanismo » Arquiteta mineira ganha grande prêmio por app de mobilidade urbana

Arquiteta mineira ganha grande prêmio por app de mobilidade urbana

Premiação enaltece a luta pelos direitos das mulheres e a representatividade negra

app de mobilidade

Ilsutração: Zé Otávio

No dia 7 de novembro, aconteceu a 13º edição do Trip Transformadores no Auditório do Ibirapuera em São Paulo e teve como uma de suas homenageadas pelo prêmio Gol Novos Tempos a arquiteta e urbanista mineira Priscilia Gama, com o aplicativo de segurança Malalai.

O prêmio pretende o homenagear e dar visibilidade a pessoas que tiveram ideias e colocaram em prática, a fim de promover mudanças na sociedade e mover estruturas. Todo ano o Gol homenageia iniciativas ligadas à mobilidade urbana.

Em sua postagem no Instagram, a revista TRIP pontuou: “No 5º país do mundo que mais pratica violência contra as mulheres, o aplicativo Malalai ajuda mulheres a voltarem para casa com mais segurança […] Ela (Priscila Gama) recebeu o prêmio (Gol Novos tempos) de Edu Bernardes, VP de marketing e vendas da Gol Linhas Aéreas”.

Os cinco vencedores do prêmio foram relatados na edição número 212 da Revista GOL, de novembro de 2019. As matérias foram redigidas por Camila Eiroa e ilustradas por Zé Otávio.

 

Ganhando espaço

Ao subir ao palco para receber o prêmio, Priscila prestou sua homenagem e discursou a respeito da importância de pessoas negras ocuparem lugar de destaque e protagonismo. Apesar de mais da metade da população brasileira ser considerada negra e parda, eles ainda são minorias nos espaços de poder e de reconhecimento.

app de mobilidadeEm seu discurso, ela enfatizou a luta do negro para conseguir que suas gerações tenham uma história consolidada, reconhecida, fazendo alusão a uma corrida disse: “eu vi em filme uma vez que para pessoas como eu viver era como uma corrida de revezamento. Não é sobre chegar ao final, é sobre pegar o bastão, correr o máximo que você conseguir e passar o bastão para a frente. Eu acrescento que é uma corrida de revezamento com obstáculos e digo que para chegar aqui hoje, muitas mulheres correram sob tortura e sob violência sexual”.

Dentro da própria arquitetura, as mulheres são maioria, mas ainda são poucas as que ocupam espaço de poder e para as mulheres negras é ainda mais difícil. Um artigo publicado em julho deste ano pela Archdaily, discorre sobre como elas dificilmente chegam a posições de poder. No dia 8 de março deste ano, o blog também fez um apanhado e apresentou 31 arquitetas negras que fizeram a diferença e marcaram a história.

 

 

Sobre o Malalai

O aplicativo produzido pela arquiteta tem o intuito de permitir a mobilidade feminina pelas cidades com segurança e apresentar as melhores alternativas de rota para chegar ao seu destino com segurança, dando às mulheres a liberdade de transitar nas cidades sem medo de assédio, estupro e perseguição.

O nome do app é inspirado na ativista pela educação e direitos das mulheres Malala Yousafzai, que inspirou Priscila a relacionar o aplicativo a liberdade da mulher, mais do que a segurança “e uma das causas de Malala é a luta pela liberdade das mulheres”, disse em entrevista a revista Claudia. A ideia veio quando se deparou com os relatos da hashtag #primeiroassedio, lançada pela ONG Think Olga e foi por causa disso sentiu a eminente necessidade de fazer alguma coisa para mudar essa situação.

Em 2015 ela apresentou seu projeto para a Startup Weekend BH e entre as 15 ideias apresentadas, o Malalai ficou em segundo lugar em projetos para ser desenvolvidos e, já em operação, hoje ajuda mais de 30 mil mulheres. O sistema conta com um anel digital denominado Acessório Malalai  que se conecta ao celular via bluetooth e tem um botão que, ao ser pressionado, envia um SMS de alerta e a localização do usuário para contatos cadastrados no aplicativo.

 

Conheça mais sobre o aplicativo em uma matéria exclusiva em nosso site. Clique no link abaixo:

https://www.caumg.gov.br/malalai-app-de-seguranca-na-mobilidade/

 

Consciência Negra

O dia 20 de novembro, Dia da Consciência Negra, é marcado pela memória da morte do símbolo da resistência negra no Brasil: Zumbi dos palmares. É um marco importante para pensarmos na importância da história afro brasileira, enfatizando a permanência e a importância da luta contra o racismo no Brasil.

app de mobilidade

Da esquerda para direita: Bárbara Oliveira e Gabriela de Matos, idealizadoras do Arquitetas Negras; Joice Berth e Stephanie Ribeiro, arquitetas, no Casa Vogue Experience 2018. Foto: Casa Vogue.

Fazendo a diferença e mostrando a importância da representatividade, projetos como o “Arquitetas Negras” ajudam na inserção dessas mulheres no mercado da arquitetura. O CAU/MG fez uma reportagem completa com as criadoras e desenvolvedoras do projeto que assim como a Priscila ajudam na inserção da população negra em espaços de reconhecimento.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.